Vovó Cambinda

Vovó Cambinda

 

De Aruanda, de Angola, das Almas, da Guiné... de todos os lugares!
 
Uma entidade que conversa bastante, com voz calma e mansa, caminha bem arcada e lentamente, apresenta-se em trajes humildes e dá bronca como toda boa velha Iyabá - esta é Vó Cambinda de todas as nações! Gosta de puxar a orelha de seus filhos! Enxerga muito pouco e obriga o médium a piscar várias vezes na consulta. Ri muito, faz seu fumego e gosta de contar "causos" do tempo da escravidão. Conhece muita coisa da vida!
Vovó Cambinda trabalha em diversas falanges, com diversas denominações. Cada uma possui suas particularidades e suas histórias, mas todas possuem, em comum, os trejeitos e as manias que definiram muito bem seu aspecto e sua apresentação nas Tendas de Umbanda. Ela é especialista em solucionar problemas de ordem pessoal, com conselhos que caem como uma luva em seus filhos! Ela é uma entidade que não deixou de ser "babá" de seus sinhozinhos e da molecada da senzala.
Cambinda representa esse apanhado de negras que trabalharam nas Casas de Engenho cuidando da gurizada e da comida que era servida ao senhores feudais. Sábias, recatadas, zelosas, amororosas, pacenciosas e abnegadas. Sem mágoas em seu coração. Sempre aconselharam o amor ao próximo.
Quem possui em sua Tenda uma "Vó Cambinda" zele dela com amor e respeito, porque ela trabalha com dedicação, mas é exigente com seus filhos. Ela é "nega de uma palavra só e quando diz que não quer mais e não faz, nega véia não faz!" - palavras de Vovó Cambinda.
 
"Cambinda mamãe ê, Cambinda mamãe a...
Cambinda mamãe ê, Cambinda mamãe a...
Segura essa filha que eu quero ver...
Filha de Umbanda não tem querer!"
show normalcase tsN left fwR|show tsN left fwR|left show fwB|b04 bsd|||news login c10 fwB fsN|normalcase uppercase fwB c10|c10 fwB|login news normalcase uppercase fwB c10|tsN normalcase uppercase c10 fwB|normalcase uppercase c10|content-inner||